Se você tem dores de coluna, hérnia de disco, problemas no nervo ciático ou dores em outras articulações e busca uma solução rápida, o atendimento individual pode ser a melhor opção para você.

A eficácia do Método Mckenzie se explica pela combinação ajustada entre a avaliação, os testes e a aplicação de movimentos terapêuticos com uma intenção clara de resolver o problema que é o gerador das dores e bloqueios articulares.

Pode ser aplicado para dores em todo o corpo de origem do sistema musculoesquelético ou seja, ossos, cartilagens, músculos, fáscias, nervos, ligamentos, bursas, cápsulas e outras estruturas independente do diagnóstico prévio.

Conheça mais detalhes através do vídeo:

Tipos de Problemas:

As dores ou limitações geralmente podem ser separadas em categorias distintas. Quando conseguimos separar os problemas temos condição de prever informações sobre o prognóstico, tempo de tratamento e cuidados preventivos.

Os principais problemas podem estar localizado em qualquer articulação do corpo independente do nome. Quando um profissional certificado pelo Método Mckenzie fizer a avaliação ele buscará classificar o problema em:

  • Postural: quando a dor é gerada pelo excesso de carga sobre as estruturas normais.
  • Desarranjo: quando o gerador da dor é algo deslocado na articulação (seja coluna, ombros, joelhos, etc) com alteração dessa estrutura anatômica.
  • Disfunção: a dor provém de lesão prévia, onde o reparo e a cicatrização anômala resultando em dor e restrição de movimento.

Além de outros: Dor crônica,Traumas, Fibromialgia, Artrose, etc.

Os diagnósticos médicos e exames de imagens são considerados uma parte menor do diagnóstico mecânico. O nosso foco é colocar a articulação e o corpo em movimento para entender melhor o que está provocando a dor. Afinal a dor aparece normalmente quando a pessoa está em movimento ou em posturas prolongadas.

A metodologia de avaliação e o tratamento específico posicionam o Método Mckenzie como um dos mais confiáveis em termos de diagnóstico mecânico e mais eficientes em relação a outras técnicas observado em estudos comparativos.

7 Vantagens do Método Mckenzie:

  1. Pode ser aplicado nos estágios agudo, sub-agudo e crônico de um problema músculo-esquelético.
  2. Adequado para uma ampla variedade de problemas mecânicos, tanto da coluna (discogênicos ou não-discogênicos), quanto das articulações periféricas.
  3. Permite identificar precocemente aqueles pacientes que respodem rápido ao tratamento mecânico conservativo, os que respondem devagar e os que não respondem ao tratamento e por isso necessitam de outra abordagem terapêutica.
  4. Identifica aqueles pacientes que podem ser orientados e se tornar independentes (70%) e aqueles que necessitarão de técnicas manuais do fisioterapeuta (30%).
  5. Educa, estimula e capacita os pacientes a usarem suas habilidades de autotratamento para controlar e resolver os seus sintomas atuais e reduzir a reincidência e a gravidade de possíveis futuras crises.
  6. Assegura que o paciente receba um tratamento rápido, eficaz e de baixo custo, o que faz com que seja cada vez mais procurado por pacientes e indicado por médicos, em todo o mundo.
  7. Profissionais apresentam formação continuada através de atualizações, congressos, artigos científicos e outros, contando com professores de alto gabarito distribuídos em vários países do mundo. Link para The Mckenzie Institute International

Se você quer encontrar um profissional mais próximo da sua cidade consulte o link dos profissionais certificados do Brasil (basta inserir o seu estado e aparecerão as cidades onde há fisioterapeutas certificados)

Reconhecimento Internacional

Nos Estados Unidos, em algumas cidades, o Mckenzie é eleito como tratamento de primeira escolha antes de opções invasivas para tratamento de problemas da coluna.

O governo da Dinamarca publicou recentemente um “guia para a dor lombar”, em que reconhece a validade científica da avaliação McKenzie e seu alto valor, tanto como ferramenta de dignóstico, quanto como um indicador de prognóstico para síndromes de dor aguda e crônica. (cf. Danish Institute for Health Technology Assessment; Low-back pain. Frequency, management and prevention from an HTA persective. Danish Health Technology Assessment; 1-106, 1999)

“Desde a sua criação, o sistema McKenzie cresceu e (…) atraiu a atenção de oponentes, críticos e investigadores não-alinhados. Através dos anos, desenvolveram-se tensões à medida que o sistema McKenzie procurou acompanhar os avanços da ciência da coluna e que esta procurou acompanhar os avanços do sistema McKenzie. Nas ciências básicas, nossa compreensão da estrutura, função e patologia do disco intervertebral lombar aumentou enormemente. Nas ciências clínicas, o advento da medicina baseada em evidência exigiu que intervenções tenham evidência de sua confiabilidade, validade e eficácia. Esses desenvolvimentos desafiaram o sistema McKenzie, mas não o ameaçaram. (…) nenhum outro sistema em fisioterapia atraiu tanta pesquisa, tanto de seus proponentes quanto de seus opositores. (…) Sua confiabilidade é agora inquestionável. Enquanto a pesquisa mostrou que outros métodos de avaliação carecem de confiabilidade, a avaliação Mckenzie se fortaleceu cada vez mais.”
Bogduk, N. Preface. IN: McKenzie, R. MDT: The Lumbar Spine. Spinal Publications, NZ, 2002

Conheça mais sobre o propositor do Método Mckenzie